sábado, 17 de março de 2007

Arrozinho de Bróculos

Vianda
De minha Lavra
.
Simples e delicioso.
.
Façamos um estrugido com alguma cebola picada em pouco azeite, até que aquela fique translúcida. Junte-se-lhe, só então, uma meia dúzia de alhos picados (mexa-se apenas para que o azeite roube o sabor ao alho). Acrescentamos de imediato um pouco de água e deixamos ficar três ou quatro minutos a apurar, após o que se junta a restante água para a cozedura do arroz (na proporção de 1 deste para 1 1/2 daquela). Quando o líquido começar a ferver, junte-se-lhe o arroz Basmati e sal que baste. Durante os primeiros 2 minutos deve cozer em lume forte, após o que se reduz para intensidade média. Quando a água começar a desaparecer (pelo 6º ou 7º minuto), juntam-se os raminhos de bróculos (previamente lavados durante alguns minutos em água com umas gotas de vinagre) e um punhadinho de pedacinhos de bacon ou salsicha de presunto. Ao décimo minuto desliga-se o lume, que já estava brandinho. Revire-se o arroz uma última vez. Os bróculos acabarão por cozer no tacho, que deverá ficar destapado e coberto com um pano de cozinha.
.
Casa muito bem com picanha, alheira transmontana (de Mirandela, se for artesanal; da Casa Marinel, em Lalim, Lamego, se for industrial) ou panadinhos de porco. E um bom vinho, claro.
.
Bom proveito!

2 comentários:

CASA MARINEL - Santos&Jesus.LDA disse...

As Alheiras e todos os produtos por nós elaborados não são industriais mas sim confecionados de maneira regional.

"Tradição e Qualidade a Nossa Originalidade"

MANHENTE disse...

O uso da palavra "industriais" no meu texto não tem uma conotação negativa (bem pelo contrário, como se prova pelo contexto); é usada em oposição à palavra "artesanal", que se queria com o sentido de "caseira".

Por outro lado, o uso do termo "industrial não deixa de ser correcto, se entendido como "método de produção industrial", mesmo que com dimensão familiar, como é a MARINEL; todavia, não deixa de ser, sem dúvida, como referem, de confecção regional (como já confirmou o meu estômago vezes sem conta, com imenso prazer...).

Votos de continuação de bom trabalho em prole dos sabores regionais.

Rui Cardoso